Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

O Quaresma, o tio-avô, o post dele e a cereja no topo do bolo

Jonasnuts, 07.05.20

Artur da Silva Quaresma | Facebook.png

Parecia que ia ser o tema do dia, mas depois a TSF fez cagada e acabou por mostrar-se a real protagonista, pelas piores razões. Mas eu prefiro manter-me no Quaresma (salvo seja), do que baixar-me ao nível a que chegou aquela que foi, em tempos, a minha rádio.

Vi esta manhã na minha TL de facebook um post do Jorge Martins Rosa que partilhava um post do Miguel Judas e que, na altura, dava voz a um "facto" que estava relativamente generalizado nas redes sociais e em alguma comunicação social, de que um tio avô do Ricardo Quaresma, o Artur da Silva Quaresma, teria recusado fazer a saudação nazi, num Portugal-Espanha em 1938.

 

Tendo em conta as recentes declarações de Ricardo Quaresma, partilhei o post do Miguel, com um comentário simples; "It runs in the family".

Passou pouco tempo, e o Nuno Camarinhas comentou a dizer, isso não é bem assim; a história é real, o parentesco não.

Ora..... o que é uma pessoa faz? Vai atrás, não é?

Foi o que eu fiz logo ali. Perguntei a alguém que sei ser próximo do Ricardo Quaresma para esclarecer a coisa. Vim a saber pouco depois que o próprio Ricardo Quaresma já se tinha apercebido da comoção geral e estava a escrever um post esclarecedor (e, de caminho, homenagear o seu homónimo). 

Aparentemente fiz a pergunta no momento certo, porque o Ricardo Quaresma publica a sua nota pouco depois.

Toda de editar o meu post, atualizando os factos e colocando um link para o post do Quaresma. O passo seguinte é avisar as pessoas que tinham comentado no meu post e, de seguida, as pessoas cujo post partilhei. 

Não apaguei o meu post. O gesto de Artur da Silva Quaresma merece o destaque, independentemente do parentesco (ou ausência deles) com Ricardo Quaresma. 

Todas as pessoas fizeram o mesmo....... mantiveram o post original, corrigiram o detalhe do parentesco, e explicaram com link para o post do Quaresma.

Que eu, no meu perfil de Facebook me tenha enganado, e só depois de publicar e de ser chamada à atenção é que me lembrei de ir confirmar a cena do parentesco, é chato, mas não é grave. Sobretudo porque assim que identifiquei o erro o corrigi e tentei avisar todas as pessoas à volta.

Mas, dizia eu, não é grave que um perfil de facebook cometa este erro. É grave que muitos órgãos de comunicação social tradicionais o façam e, a cereja no topo do bolo, que o polígrafo, que se apresenta como um arauto da verdade e do fact checking, não tenha tido a capacidade de fazer o que eu fiz, validar com fontes de jeito, e tenha dado como verdadeiro o parentesco entre os dois Quaresma.

Mais...... não só não teve a competência para fazer o seu trabalho como, quando se apercebeu do erro, não foi capaz de dar a mão à palmatória e assumir a coisa, pedir desculpa e corrigir a cagada, começa por apagar o post. Depois lembrou-se de que isto era a internet e que se calhar não era boa ideia apagar a coisa, e repôs, mas não corrigiu, ainda. Ainda lá está, o post desmentido a dizer que sim senhor que é verdade algo que já foi desmentido pelo próprio Ricardo Quaresma.

O polígrafo nunca desilude.

O tio-avô de Ricardo Quaresma recusou fazer saud

E, por fim, a cereja no topo de bolo que é mesmo a cereja no topo do bolo?

TweetDeck.png

:)

 

UPDATE: Editaram agora o post (às 2 da tarde) e têm o desplante de dizer "Aproveitamos também para agradecer ao bisneto Pedro Miguel que nos alertou atempadamente para o erro.", o post do Quaresma a corrigir a coisa foi feito há mais de 4 horas. 
Lá está..... o polígrafo não desilude.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.