Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

Colégio do Bom Sucesso

Jonasnuts, 31.05.07

Todos os dias de manhã, depois de pôr o meu filho na escola, tenho de passar pela rua do Colégio do Bom Sucesso.

A rua em causa tem 2 vias, uma em cada sentido e tem um semáforo mesmo à porta do colégio.

Não há, em frente ao colégio, muitos lugares de estacionamento, mas há IMENSOS lugares para estacionar os carros um pouco antes e um pouco depois. Quando digo um pouco antes refiro-me a 50 metros, não é portanto uma distância difícil de percorrer a pé, mesmo com crianças pequenas.


Devem andar muitos alunos no Colégio do Bom Sucesso e eu por acaso conheço os pais de alguns desses alunos e sei, não só porque já vi mas também porque já me disseram, que estacionam os seus carros em sítios onde não incomodem, e vão a pé, pôr os filhos. Este grupo será certamente a maioria.

Mas o meu problema são as minorias. Presumo que sejam uma minoria. Espero que sejam uma minoria, mas são, mesmo assim, uma minoria muito invasiva e expressiva, pelo menos no tipo de impacto que têm na vida dos outros.

São o grupinho de pessoas que, em vez de estacionarem os seus carros em sítios onde não incomodem, estacionam na faixa de rodagem, param o carro no semáforo (mesmo que esteja verde), e esperam, enquanto as crianças saem do carro e vão sozinhas ao porta bagagens recolher as mochilas, e depois regressam para o beijinho, e depois lá se encaminham para a entrada da escola. Os pais arrancam apenas depois de se assegurarem de que as crianças entraram na escola, portanto, o tempo do sinal passar para vermelho e depois para verde de novo.

Muitas vezes ainda esperam um bocadinho, para trocarem umas impressões com outros pais que ali estão na mesma situação (cada um ocupando a sua via).

Ignoram sobranceira e arrogantemente todos aqueles cuja vida estão a dificultar.

Não passam carros, nem eléctricos, nem autocarros. passam motas e é com sorte.

Pergunta: Que tipo de valores é que estes pais estão a transmitir aos seus filhos? Olha, faz o que quiseres, não te importes com os outros, os outros que esperem.

Não é possível responsabilizar o Colégio, mas também não é possível desresponsabilizá-lo. Contratem um polícia, mandem circulares para os pais (foi o que fizeram na escola do meu filho, que nem é longe, e salvo raras excepções, tem funcionado lindamente), penalizem as crianças cujos pais têm este tipo de atitudes, sei lá, inventem qualquer coisa para resolver o problema.

Acho extraordinário, que um colégio que assume no seu ideário o compromisso de cultivar nos seus alunos os valores de "sentimento de serviço em prol do colectivo" permita a continuação desta situação.

Olha para o que eu digo não olhes para o que eu faço?

8 comentários

  • Imagem de perfil

    Jonasnuts 31.05.2007

    Eta lecas, que grande elogio :)

    Obrigada.

    Quanto à penalização....expliquei-me mal. Não pretendia que as crianças ficassem de castigo, ou coisa que o valha. Mas se no fim do mês fosse para casa, juntamente com a mensalidade, uma coima por cada dia que o carro do papá do menino estivesse em 2ª fila, era certo e sabido que o problema era resolvido.

    As crianças não têm de ser responsabilizadas, a culpa é dos pais :)
  • Sem imagem de perfil

    Maria Bê 25.05.2011

    Jonas,
    A julgar pelos estudos que analisam o sistema de coimas para punir os atrasos dos pais aquando do vir buscar as crianças aos infantários, a tua sugestão não funcionaria. Até porque, ao que entendo, e ressalvando os casos de alunos com bolsa, se os houver, estes pais podem pagar as multas.
    A tua sugestão, e espero fazer entender-me, acabaria por legitimar a atitude destes pais, que seriam levados a pensar que "eu já paguei, portanto tenho este direito".
    É uma coisa tramada...
  • Imagem de perfil

    Jonasnuts 25.05.2011

    Estás a fazer-me regressar ao passado :)

    Ando, à tua conta, a reler os disparates que escrevi. Imagina que, à porta desta escola, já nem passo, que o meu puto entretanto já foi para o liceu (ainda me custa, escrever isto......).

    Mas sim, é verdade, o facto de pagarem legitimaria a coisa..... é um problema difícil, como é que se penalizam os pais, sem se penalizarem os filhos?
  • Sem imagem de perfil

    Maria Bê 25.05.2011

    Hum...
    Aqui nos US, não conheço bem esta realidade portuguesa, é muito vulgar haver pais com coletes especiais e sinais de stop & go que dão instruções aos pais.
    Uma ideia seria imitar esta situação com um polícia sinaleiro a mandar seguir a malta e não a deixar parar (aqui remeto para a diferença "parar" vs "estacionar"). Umas multazinhas da PSP eram boas... e aqui, mesmo tratando-se da mesma forma de punição, o ir ao bolso dos papás, tem também o peso moral de ser efectuado pela autoridade. E seria multa atrás de multa atrás de multa...
    Os putos crescem rápido... a minha ainda ontem nasceu e hoje já liga o desgraçado do telemóvel... ao português já comeu as teclas, valha-me o americano que não as tem...
  • Imagem de perfil

    Jonasnuts 25.05.2011

    Mas aí a polícia funciona de forma diferente.... aqui ainda existe, em alguns caso vá, espero que cada vez mais raros, alguma subserviência face ao gajo que leva as crianças à escola cara, montado num mercedão de último modelo. Assisti, naquele sítio, por mais do que uma vez, a polícia a mandar parar as os carros, apesar de semáfoto verde, para que uma tia pudesse passar. A senhora, coitada, devia estar sobrecarregada com o peso dos colares, e atrasada para uma ida à manicure (isto é só preconceitos uns atrás dos outros) e não podia esperar que o sinal mudasse :)
  • Sem imagem de perfil

    Maria Bê 25.05.2011

    Jonas,
    Eu adoro um bom estereotipo!
    E como eu adoraria ter alguma dessa subserviência... infelizmente conduzo um Opel Corsa de 1998, por isso nem em sonhos... Também não tenho aspecto de tia, tal como tu sou fã de sapatilhas e é raro calçar outra coisa.
    Infelizmente percebo o que dizes, os sinais exteriores de riqueza abrem muitas portas, dobram muitas costas, conseguem comportamentos que um pedido bem formulado muitas vezes não.
    Mas também temos coisas boas, vá, temos uma costa fabulosa, cafés nas praias (que são maus para as dunas, eu sei, mas beber uma sumol de ananás numa esplanada é priceless), pataniscas...
  • Imagem de perfil

    Jonasnuts 25.05.2011

    O Sumol tem de ser, sempre, de ananás :)

    (temos muitas coisas boas, eu sei disso.

    Os nossos emigrantes, por exemplo :)
  • Comentar:

    Mais

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.