Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

Smart - Dia 1

Jonasnuts, 12.04.07
Pois é, finalmente fui buscar o Smart.

Os atrasos com a matrícula não foram, afinal de contas, da responsabilidade da DGV que, segundo me disseram, responde no próprio dia, o mais tardar, no dia seguinte. Parece que os senhores da Mercedes é que gostam de ter por lá os papeis a descansar.

Primeiras impressões, pronto, é giro e é funny. O ponto de embraiagem é fabuloso, anda pouco, gasta pouco, e faz muitos barulhinhos. Ouve-se tudo o que se passa lá fora, mesmo com as janelas fechadas, e foi para estes carros que se inventaram os DVDs portáteis, uma pessoa precisa de se manter ocupada, enquanto vai na auto-estrada a 80Km/h. É estranho olhar para o lado e ver o puto ali sentado.

Os meus carros anteriores foram, por ordem de entrada em cena, um Renault 5C (sem travões, e foi neste carro que eu aprendi a reduzir, não foi na instrução), um Renault 5 TL, um Clio (o primeiro Clio, bela cagada), um Twingo (óptimo carro, só precisava de um bocadinho mais de potência), um Mégane Scenic, um Volkswagen Touran. Depois, por afinidade, conduzi com muita frequência um Audi A3 2.0 TDI Sport (grande carro), e, ultimamente, um Audi A3 SportBack (dos novos já com 170 cavalos). Também por afinidade tenho à disposição um Audi TT (também dos novos), que já conduzi, mas que não conto voltar a conduzir tão cedo.


Tendo em conta os últimos termos de comparação, tenho de encontrar outra forma de estar e de apreciar a condução.

O "meu" carro favorito da lista ali de cima? O Audi A3 2.0 TDI Sport, logo seguido do Twingo :)

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Jonasnuts 12.04.2007

    Um ponto de embraiagem fabuloso é aquele em que entre o momento em que tu tiras o pé do travão e o momento em que carregas no acelerador, o caro não se mexe nem um milímetro :)

    Eu não sabia como é que funcionava o ponto de embraiagem nestes carros que não têm embraiagem (ou que têm uma embraiagem automática), e pensei que fosse uma questão de tempo, até conseguir encontrar o ponto certo de equilíbrio, no pedal do acelerador.

    Quanto à mudança para a VW, deveu-se a vários factores. Ter-me-ia mantido na Renault, não fosse a última scenic ser HORRÍVEL e o senhor do stand da renault um antipático.
    Experimentei vários monovolumes, e o VW foi o que me agradou mais.
    A Opel foi excluída por causa da campanha publicitária que tinha no ar, na altura (http://jonasnuts.blogs.sapo.pt/42830.html) portanto......o que me levou a optar pela VW foram circunstâncias várias, e sim, a afinidade contou, muito :)
  • Comentar:

    Mais

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.