Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

Idealista

Jonasnuts, 24.03.11

Dizem que os jovens são idealistas, e depois aprendem.

 

Pelos vistos, essa foi mais uma coisa que não aprendi.

 

O que me custa mais, nas legislativas que aparentemente vão acontecer, não é ter de passar por outra campanha eleitoral (e esta, a julgar pelos intervenientes vai ser do piorio), o que me custa não é o debate vazio, nem a demagogia a jorrar, nem o barulho e a poluição visual e sonora.

 

O que me custa mesmo é ter de olhar para isto tudo e decidir com base no critério "mal menor".

 

Não vamos, nestas eleições, escolher aquilo que achamos melhor para o país. Vamos escolher aquilo que achamos que dará menos prejuízo.

 

E como é que eu explico isto ao meu filho? E como é que eu explico isto à idealista que me habita?

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    J.C.Lopes 24.03.2011

    O problema desse raciocínio é: O que temos nós de melhor cá?
    Do meu ponto de vista, não temos que "ter medo do desconhecido" porque não é preciso ter-se sido governo para os conhecermos.
    Dos partidos que já foram governo, todos nós já sabemos o que valem. Dos que ainda não foram, parece-me que também, se não sabemos pelo menos imaginamos o que valem.
    Demagogia e populismo não enchem a barriga de ninguém e é apenas o que esses partidos têm mostrado.
    Parece que estamos condenados a dois partidos, e nesses acho que não vale a pena apostar porque já os conhecemos.

    Estamos mesmo tramados.
  • Sem imagem de perfil

    Sandra Cunha 24.03.2011

    esqueci-me de acrescentar que essa postura de achar que se conhece o que não se experimentou ainda de facto me faz lembrar os putos que em frente de um prato de sopa dizem logo que não gostam antes sequer de terem provado.

    Podes acreditar que os 'outros' serão iguais. Mas não podes prová-lo antes de experimentares.
  • Imagem de perfil

    Terebi-kun 24.03.2011

    Há muitas coisas que as pessoas escolhem não fazer sem nunca terem experimentado, e não é por isso que deixam de ser boas escolhas. Quem nunca foi atropelado, não deixa de ser boa escolha não querer meter-se à frente de um carro.

    Quando vejo pessoas dizerem que partido X ou Y é demagógico ou populista, infelizmente têm razão para o dizer. O PP às vezes parece que diz coisas acertadas, mas é só para nos enganar, a ver se o levamos a sério. O BE está contra os cortes e os aumentos de impostos, mas não dizem onde se vai buscar o dinheiro. Recentemente percebi porquê: a ideia deles é convencer a Europa e os outros a não termos que pagar o que devemos. Boa sorte com isso. O PCP recusa-se a evoluir de um modelo que não é muito diferente de uma ditadura. Quais são as alternativas? O Partido Monarquico? O PNR? O MMS? Quais são as propostas deles?

    Mas de facto, é preciso não ter medo de mudar, ainda mais hoje em dia. Eu gostava de ver mudar a maneira como se faz política.

    Sobre o idealismo, há uma coisa que me deixa de pé atrás: nada obriga o idealismo a ter um mínimo de correspondência com a realidade.
  • Comentar:

    Mais

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.