Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Ensitel - alguns esclarecimentos

Este blog, que era uma salinha pequenita, viu-se, de repente, obrigado a fazer obras de aumento de espaço, para acolher a imensidão de pessoas que aqui chegaram, fruto da polémica em que me encontro, inadvertidamente, envolvida. Sejam muito bem-vindos e estejam à vontade. Costumo responder à grande maioria dos comentários mas, lá está, quando são 3 ou 4 é fácil, tratando-se de centenas fica um bocadinho mais complicado :)

 

 

Assim sendo, gostava só de deixar perfeitamente esclarecidos alguns detalhes que têm passado ao lado de algumas pessoas:

 

1 - O meu conflito de consumo com a Ensitel foi um episódio que vivi há quase dois anos.

 

2 - Para mim era um tema completamente ultrapassado e esquecido, e sobre o qual não voltei a escrever.

 

3 - Não quero um telemóvel novo, nem dinheiro, nem indemnizações.

 

4 - Só voltei a escrever sobre o tema porque a Ensitel me moveu este processo, despoletando toda esta onda de solidariedade para com a minha pretensão (que me surpreende e comove).

 

5 - A única coisa que pretendo, é que me deixem em paz (e aos meus posts).

 

Nem mais, nem menos.

8 comentários

  • Sem imagem de perfil

    António Silva 30.12.2010 00:00

    hummm...
    ... muito bem caro ANÓNIMO.
    Fazer observações sobre a capa do anónimato é facil e não dá "trabalho".
    ... enfim...
    Se tivesses (desculpa a intimidade) mais que a 4ª classe (sem discriminar quem a tem), rápido perceberias que não é ao fim de quase 2 anos que se tem pretensão de um novo telemóvel, dinheiro ou indeminização. Ao fim de dois (2) anos pessoas "normais" já nem pensam no assunto. Nete caso a Ensitel não me parece uma pessoa normal... nem tu!!!
  • Sem imagem de perfil

    manuel antónio bastos 30.12.2010 01:12

    Para sua informação, tenho mais que a 4a classe e sei do que falo ao contrário de si.
    Para lhe mostrar como tenho razão, deixo-lhe a si e à Maria João meia dúzia de considerações:
    1- Antes de vir de peito inchado, dizendo que a seguir ia para o Tribunal Arbitral, a Mª João devia ter-se informado com quem sabe. Tê-la-iam informado que uma decisão do Tribunal Arbitral é uma espécie de lotaria ( não lhe vou explicar porquê - esse conselho paga-se) e com a agravante de não ser passível de recurso. Logo, foi a Mª João que procurou o desfecho da coisa. Tá ver?
    2- A lei prevê prazos para o exercício dos direitos. O que significa que dentro desse prazo estou sempre a tempo de exercer o meu direito, recorrendo à via judicial, porque ainda não prescreveu. Portanto, calem-se lá com o argumento falacioso dos 2 anos. Se eu posso meter a acção dentro de 3 anos, cabe-me a mim ajuizar se o quero fazer no 1º mês ou no 35º mês.
    3- Acho piada aos bloggers que, em nome não sei do quê, vêm para um espaço público relatar assuntos pessoais, dando-lhes publicidade e dimensão. Ao fazê-lo, tem que perceber que estão a tornar a "coisa" publica e, por isso, têm que se sujeitar às consequ~encias e sindicâncias de quem os lê, incluindo daqueles que possam sentir-se ofendidos com os que os outros relatam.
    4- Este caso servirá de lição para muita gente. Sobretudo, para aqueles que gostam de mandar uns bitaites sobre tudo e todos apostando na impunidade.
    5- E depois, há outra coisa que não suporto: o encarneirar às cegas sem conhecer as duas versões. Por que razão hei-de acreditar mais nas palavras da Mª João do que nas da outra parte? Se não tenho os elementos todos, se não conheço as duas versões, se não domino a situação em concreto, se não a acompanhei, pergunto: por que carga de água tenho de solidarizar-me de imediato com a Mª João e passar a insultar alguém que ainda não ouvi?
  • Sem imagem de perfil

    Rui Henriques 30.12.2010 13:33

    Sr. Manuel António Bastos,

    A Ensitel tem direito a defender-se, peça à autora do blog para publicar um texto onde explica a sua versão da história.
    A Ensitel fez isso? Claro que não. Este episódio já está mais do que batido, são aos milhares todos os anos. A empresa aproveitou o facto de ter ganho o caso numa instância pouco credível para avançar para pedir para apagar os posts . A isso chama-se medo.... Medo da reacção dos consumidores.
    Quem manda na Ensitel deveria ter actuado logo no inicio desta polémica e pedir uma reunião com a Maria João e resolver a questão de forma amigável. Deixar que os consumidores tomem posição foi um erro tão estúpido que a empresa vai pagar caro. Neste momento a Ensitel só tem uma opção, para reduzir os efeitos desta bola de neve, volta atrás na decisão de exigir que a Maria João apague os posts e começar uma campanha para melhorar a imagem da empresa que está muito afectada. Pessoalmente acho que já é tarde.

    A empresa tem que rever a sua politica, porque situações destas só causam mal estar à Ensitel .

    Eu não vou denegrir a imagem da Ensitel , mas digo desde já que não gasto lá mais um euro, nem que tenha que pagar mais por um equipamento igual noutra loja.
    Com ou sem posts da Maria João, só o simples facto de a Ensitel dificultar a troca de um equipamento dentro do prazo de troca directa, já é um factor para eliminar esta empresa da minha lista.
    Por mais razão que a Ensitel tenha, ao actuar desta forma só se prejudicou a si própria. O caso passou na televisão, nos jornais, nos sites informativos, no facebook , no twitter , em sites pessoais e no pior mal de todos, o boca-a-boca dos consumidores. O ano de 2010 acabou mal para a Ensitel e 2011 promete ser um ano negro para a empresa.
  • Sem imagem de perfil

    manuel antónio bastos 30.12.2010 21:01

    Sr. Rui Henriques:

    Que fossem aqui colocadas as duas versões, para melhor podermos ajuizar sobre a bondade das duas, queria eu.
    Mas não vou pedir isso à Mª João porque não sei se o pode fazer ou se isso a beneficiava.
    Aliás, o erro de muitos dos comentadores que apoiam incondiconalmente a MJ reside nisso mesmo: alguns são tão parcos em intelegência que desatam a insultar a Ensitel sem se darem conta que isso não ajuda a MJ e servirá para a empresa reforçar a alegação dos prejuízos colocando o epicentro da discussão neste blogue e demais divulgações por causa dele.

    Se querem lutar contra a liberdade de expressão, façam-no de forma correcta e não baixem o nível, recorrendo ao insulto, porque perdem toda a razão.
    Uma coisa é criticar a empresa, discordar do atendimento, denunciar esse atendimento. Outra, bem diferente, é vir para aqui atacar a empresa ou até mesmo quem se atreve a comentar contra a onda de solidariedade.
    Ou seja, berremos, berremos porque está em causa a liberdade de expressão e simultaneamente ataquemos, ataquemos quem a liberdade de quem pensa que não está em causa a liberdade de expressão.
    Portanto: ou CONCORDAM CONNOSCO OU PORRADA NELES.
    Isto diz muito de quem assim comenta. E NÃO, NÃO DA ENSITEL, mas podem pensar que sim. Eu, ao contrário de muitos, aceito a liberdade de pensamento, de opnião, de expressão.

    E Já agora, leiam a Fernanda e aprendam qq coisita: http://jugular.blogs.sapo.pt/2397380.html#comentarios
  • Sem imagem de perfil

    Rui Henriques 30.12.2010 21:38

    Sr. Manuel António Bastos,

    Acho que percebeu que não partilho do entusiasmo de muita gente que recorre a formas menos adequadas para mostrar a sua opinião.
    Nesse campo partilho a sua ideia de que pouco ajudará a MJ no futuro estar no epicentro deste furação sem precedentes em Portugal. Noutros países a Ensitel estava falida ou quase a falir ou então já tinha limpo a sua imagem com uma aproximação ao consumidor e aproveitado para fazer boa publicidade.
    Sou daqueles que acredita que os tribunais são a última instância a recorrer quando existem conflitos, mas sendo um nabo em leis, pelo que li, acho muito difícil a Ensitel ter bases para pedir que os posts sejam apagados. A MJ relata os acontecimentos como os viveu. Quem dentro da empresa teve a bela ideia de meter uma acção em tribunal para apagar os posts deveria ser imediatamente despedido, tal como os responsáveis pelo comunicado. Se a empresa fosse minha iria ser muito duro com as pessoas que participaram nesta confusão.
    Este caso ficará sempre como um marco do marketing em Portugal .... Pelos maus motivos.
    Se a Ensitel insistir com o processo mais vale declarar falência, porque estão a enterrar mais a empresa.

    Ainda bem que se consegue opinar e discutir em condições.
  • Sem imagem de perfil

    manuel antónio bastos 30.12.2010 21:54

    Sr. Rui Henriques,

    Repare nisto. já alguém se lembrou de ir à página da Ensitel (seja ela qual for) dizer-lhes que estão a agir mal, que não lhes parece correcto que actuem desta ou daquela maneira?
    Já que estão tão preocupados com a situação e com a MJ, já alguém se lembrou de mediar o litígio, ser intermediário junto dos mandatários da empresa e tentá-los sensibilizar para o que julgam ser uma "censura" a retirada dos posts?
    Já alguém se lembrou de fazer uma petição online (já que querem demonstrar o poder das redes virtuais) que apresente argumentos objectivos, válidos e capazes de conduzir à desistência pela Ensitel da Provid~encia?

    Não, não vê nada disso. Limita-se a ler ataques, insultos, alguns muito baixos e violentos, contra a empresa e contra os comentadores que manifestam opiniões que possam indiciar - ainda que só na aparência - que stão do lado da empresa.

    É esse comportamento que é o alvo da minha crítica. Como é possível que não sejamos capazes de fazer uma análise objectiva e distante?
  • Sem imagem de perfil

    Rui Henriques 30.12.2010 22:53

    Sr. Manuel António Bastos,

    Um empresa com 21 anos deve ter gente capaz de mediar um conflito empresa-consumidor . A questão é que eles deveriam ter falado com a MJ antes de avançar com o tribunal. O que fizeram eles para evitar o conflito? NADA. Tiveram foi azar com a consumidora, que conseguiu sem esforço criar uma onda de solidariedade enorme. No meio das muitas patetices que fomos lendo estão muitos consumidores, como eu, que nunca mais lá deixam um tostão. Atendendo que as empresas querem é clientes estar a contribuir para os afastar é digno de registo.

    Não cabe a nós, simples cidadãos, mediar o conflito. Este conflito só se resolverá no tribunal ou por iniciativa da Ensitel . Sem a iniciativa por parte da Empresa pouco poderá ser feito.
    Os gestores da empresa é que devem fazer algo, não o Zé Povinho.
    Os mandatários da Ensitel foram os responsáveis por esta situação, agora que a resolvam. eu estou muito interessado em ver como resolvem as coisas. Desconfio que a MJ vai a tribunal, por se fosse para fazer algo a Ensitel já o teria feito.
    É triste que isto chegue a esse ponto.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Pesquisar

    No twitter


    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2005
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D