Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

Ensitel - alguns esclarecimentos

Jonasnuts, 29.12.10

Este blog, que era uma salinha pequenita, viu-se, de repente, obrigado a fazer obras de aumento de espaço, para acolher a imensidão de pessoas que aqui chegaram, fruto da polémica em que me encontro, inadvertidamente, envolvida. Sejam muito bem-vindos e estejam à vontade. Costumo responder à grande maioria dos comentários mas, lá está, quando são 3 ou 4 é fácil, tratando-se de centenas fica um bocadinho mais complicado :)

 

 

Assim sendo, gostava só de deixar perfeitamente esclarecidos alguns detalhes que têm passado ao lado de algumas pessoas:

 

1 - O meu conflito de consumo com a Ensitel foi um episódio que vivi há quase dois anos.

 

2 - Para mim era um tema completamente ultrapassado e esquecido, e sobre o qual não voltei a escrever.

 

3 - Não quero um telemóvel novo, nem dinheiro, nem indemnizações.

 

4 - Só voltei a escrever sobre o tema porque a Ensitel me moveu este processo, despoletando toda esta onda de solidariedade para com a minha pretensão (que me surpreende e comove).

 

5 - A única coisa que pretendo, é que me deixem em paz (e aos meus posts).

 

Nem mais, nem menos.

6 comentários

  • Sem imagem de perfil

    António Silva 30.12.2010

    hummm...
    ... muito bem caro ANÓNIMO.
    Fazer observações sobre a capa do anónimato é facil e não dá "trabalho".
    ... enfim...
    Se tivesses (desculpa a intimidade) mais que a 4ª classe (sem discriminar quem a tem), rápido perceberias que não é ao fim de quase 2 anos que se tem pretensão de um novo telemóvel, dinheiro ou indeminização. Ao fim de dois (2) anos pessoas "normais" já nem pensam no assunto. Nete caso a Ensitel não me parece uma pessoa normal... nem tu!!!
  • Sem imagem de perfil

    manuel antónio bastos 30.12.2010

    Para sua informação, tenho mais que a 4a classe e sei do que falo ao contrário de si.
    Para lhe mostrar como tenho razão, deixo-lhe a si e à Maria João meia dúzia de considerações:
    1- Antes de vir de peito inchado, dizendo que a seguir ia para o Tribunal Arbitral, a Mª João devia ter-se informado com quem sabe. Tê-la-iam informado que uma decisão do Tribunal Arbitral é uma espécie de lotaria ( não lhe vou explicar porquê - esse conselho paga-se) e com a agravante de não ser passível de recurso. Logo, foi a Mª João que procurou o desfecho da coisa. Tá ver?
    2- A lei prevê prazos para o exercício dos direitos. O que significa que dentro desse prazo estou sempre a tempo de exercer o meu direito, recorrendo à via judicial, porque ainda não prescreveu. Portanto, calem-se lá com o argumento falacioso dos 2 anos. Se eu posso meter a acção dentro de 3 anos, cabe-me a mim ajuizar se o quero fazer no 1º mês ou no 35º mês.
    3- Acho piada aos bloggers que, em nome não sei do quê, vêm para um espaço público relatar assuntos pessoais, dando-lhes publicidade e dimensão. Ao fazê-lo, tem que perceber que estão a tornar a "coisa" publica e, por isso, têm que se sujeitar às consequ~encias e sindicâncias de quem os lê, incluindo daqueles que possam sentir-se ofendidos com os que os outros relatam.
    4- Este caso servirá de lição para muita gente. Sobretudo, para aqueles que gostam de mandar uns bitaites sobre tudo e todos apostando na impunidade.
    5- E depois, há outra coisa que não suporto: o encarneirar às cegas sem conhecer as duas versões. Por que razão hei-de acreditar mais nas palavras da Mª João do que nas da outra parte? Se não tenho os elementos todos, se não conheço as duas versões, se não domino a situação em concreto, se não a acompanhei, pergunto: por que carga de água tenho de solidarizar-me de imediato com a Mª João e passar a insultar alguém que ainda não ouvi?
  • Sem imagem de perfil

    Pedro Gomes 30.12.2010

    Sr. manuel antónio bastos dentro de ano e meio irá receber uma carta com 31 páginas a "pedir" para apagar esse post, uma vez que está a criticar o Tribunal Arbitral.

    Concordas?

  • Sem imagem de perfil

    manuel antónio bastos 30.12.2010

    A criticar, disse bem. Em determinadas situações, não aconselho ninguém a ir para um tribunal arbitral. Discordo dos procedimentos e da forma. Não será em todos, mas conheço alguns onde assim é. E sei porque o digo. É proíbido criticar? Insultei alguém?
    Ora diga lá onde é que o meu comentário é impróprio ou injurioso?
  • Sem imagem de perfil

    Carlos 30.12.2010

    O manel antónio bastos tem cara de advogado da ensitel. Não apenas no sentido moral, mas no sentido profissional da coisa.

    Diga lá, você recebe uns euritos da ensitel. Ó assuma... saia do armário.

    É evidente que a Maria João tem queixas fundadas e pode dá-las a conhecer. É evidente que qualquer consumidor com juízo irá afastar-se da ensitel. É evidente que o juiz não quis muita chatice com o caso e por isso deixou pender para o lado mais fácil.

    Acabem com a ensitem e com todos tipo esses, como a taminveste. que se demarcam das suas obrigações.

    Força Maria João. Estamos contigo.
  • Comentar:

    Mais

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.