Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

Os trolhas

Jonasnuts, 15.10.10

Qualquer gaja, seja qual for a idade e o aspecto físico, já ouviu bocas dos trolhas (os gajos não são esquisitos, marcha tudo). Uns mais ordinários (a maioria), uns mais singelos, uns mais agressivos, há-os para todos os gostos. E deve ser difícil, para um trolha, dissociar-se dos outros. Ser diferente, ser original. Têm de criar estratégias, frases de engate que os distingam do resto da manada. Presumo que não seja fácil.

 

O prédio ao lado do edifício onde trabalho está em obras e, consequentemente, cheio de trolhas. Um dia destes, ao passar, descobri um trolha que desenvolveu uma estratégia especial (e certeira). O gajo mia. Mia, como um gato. E resulta. As gajas olham. Do mal o menos. Miar não ofende, e pelos vistos, cumpre o objectivo, que é fazê-las olhar. Depois disso não sei o que fará, não fiquei para ver. Mas olham.

 

O mais fácil está feito. Sim, atrair a atenção é fácil. Manter essa atenção, nem tanto.

 

É como em publicidade. Aliás, é como quase tudo na vida.

 

Há uns anos, há muitos anos, eu era uma miúda, e passava todos os dias numa rua com fábricas. Passava por lá à hora do almoço, a caminho de casa da minha avó. Os operários reuniam-se cá fora e SEMPRE que eu passava, digamos que não miavam. Eram MUITO ordinários. Aquilo era incómodo. Eu era mesmo muito miúda, há palavras cuja fonética aprendi naquela rua, e cujo significado tive de perguntar em casa.

 

Hoje em dia daria direito a uma queixa na polícia, mas na altura era aceite.

 

As instruções que eu tinha era para não ligar e não responder. Segui-as durante pouco tempo. Rapidamente descobri que aquilo era só paleio, e que se uma pessoa, mesmo uma miúda muito miúda parasse e lhes respondesse colocando o dedo na ferida, eles punham o rabinho entre as pernas e amochavam. O dedo na ferida dos homens é, como se sabe, insinuar que o problema deles era terem a pila pequena. Resulta com TODOS os homens. Resultava lindamente com aqueles. Resolveu-se o problema rapidamente.

 

Mesmo assim não me senti suficientemente vingada. Anos mais tarde, já à frente do departamento de produção duma agência de publicidade, tive de pedir um orçamento a 3 grandes empresas de instalações luminosas. Era um orçamento para cobrir um edifício grande com a imagem duma conhecida marca nacional. Era uma coisa milionária. Uma das empresas era a tal da fábrica dos operários da pila pequena.

 

Não apresentaram o orçamento mais baixo, mas mesmo que o tivessem feito, não lhes teria dado o trabalho.

 

E na sua empresa? Os funcionários miam ou têm a pila pequena? :)

1 comentário

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.