Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

Os novos abutres

Jonasnuts, 28.02.10

Os novos abutres somos nós.

 

Somos todos os que se colam à televisão para ver um tsunami em directo, enquanto têm no colo o computador para ver as imagens do Chile, e pelo caminho vai-se dando uma espreitadela pela timeline do Twitter para ver como se está a aguentar a Madeira, mas mantemos as os estores recolhidos, para ver se o vendaval afinal chega ou não chega.

 

Mas, acima de tudo, os novos abutres, os mais modernos, os especialistas, são os jornalistas que não conseguem esconder uma nota de desilusão na voz, porque, afinal, o Tsunami pariu um rato.

 

A CNN começou com o Chile, mas aos primeiros avisos de tornado virou as baterias para a linha do horizonte no Hawai, e durante horas, o que se viu foi isso mesmo, a linha do horizonte, enquanto havia relatos, ao centímetro, das águas que recolhiam. Quando se aperceberam que afinal não iam conseguir transmitir em directo o desastre, a destruição, a miséria que esperavam (e que tinham empolado ao máximo), mudaram o discurso para um "felizmente" e regressaram ao Chile.

 

E nós, a papar aquilo tudo.

 

Às vezes, gostava de ser ignorante, e de viver numa terrinha perdida, sem computadores, sem televisão, sem rádio, sem porra nenhuma a não ser os meus.

 

Era, de certeza absoluta, mais feliz.

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Jonasnuts 02.03.2010

    Para os que acham que a tragédia na Madeira podia ser prevenida, porque há um vídeo com 2 anos e tal......recomendo isto: http://acausafoimodificada.blogs.sapo.pt/385177.html
  • Sem imagem de perfil

    Alexandre Kulcinskaia 02.03.2010

    Não é o facto de existir um vídeo com dois anos e tal que me faz achar que a tragédia poderia ser evitada.
    É o facto de durante anos e anos se ter construído sem rei nem roque nas margens da ribeira não permitindo assim o escoamento das águas.
    Dos exemplos dados o único que possivelmente pode ser comparado com o da Madeira é o da Suíça porque um furacão é uma tragédia que se move e que é impossivel de prever com exactidão onde acontecerá e a Holanda é todo um país que desde sempre teve quem o habitasse.
    Já a ribeira que transbordou sempre lá esteve e as construções que ali foram feitas só foram porque ficavam bem.
    Eu também acho que discordar da maioria tem mais piada mas para o fazer é necessário fundamentarmos-nos e não olharmos apenas para quem divulgou o vídeo e criticar apenas porque é de uma facção politica diferente da nossa.
    Ao criticar a politização da tragédia o autor está também a politizar.
  • Comentar:

    Mais

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.