Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

Ensaio sobre a surdez

Jonasnuts, 07.12.08

Viajar com crianças, a partir de uma certa idade, deixa de ser fácil. Ao princípio é fácil, na maior parte dos casos o ronronar do motor e o balanço da estrada embala-os, e é raro não adormecerem. À medida que vão crescendo, passam a estar mais atentos, e quando crescem um bocadinho mais, passa-lhes a atenção e chega a impaciência. É aí por volta dos 7 ou 8 anos. Quando é que chegamos? Ainda falta muito? Quanto tempo é que falta? Repetindo esta frase até à exaustão, de 10 em 10 segundos.

 

Se são dois (como é o caso), brincam. Onomatopaicamente. Ruidosamente.

 

Foi o caso, ontem.

 

Nós, os da frente, fartamo-nos das onomatopeias. Ontem adoptámos uma nova estratégia. Quanto mais altas as onomatopeias (de explosões, de movimentos de karaté, de mortos e feridos), mais nós subíamos o volume da música.

 

Não sei quem é que ganhou a competição, mas chegámos todos ao destino um pouco surdos.

 

 

 

 

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Jonasnuts 07.12.2008

    Com que idade é que acaba?
    (é a pergunta que se impõe).
  • Imagem de perfil

    * * Grilinha * * 07.12.2008

    É fácil.

    Acaba quando eles passam a sair sozinhos e para locais escolhidos por eles com as companhias que eles escolherem.

    Mesmo assim, corres sempre o risco de uma vez por outra (férias ou outra passeata maior) voltar a ouvir a ladainha no banco de trás:
    - Mãe falta muito?
    - Mãe já chegámos?
    - tenho sede, quero fazer chi-chi

    Nessa altura damos boas gargalhadas e recordamos como eles até eram engraçados aos 9, 12 e 15 anos
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.