Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jonasnuts

Jonasnuts

Voto aos 16 anos

Jonasnuts, 03.04.08
Vi no Câmara de Comuns um post que trata deste tema, o seu autor defende que deveria ser permitido.

Não costumo falar de política, e aqui fica o meu disclaimer, desde que posso votar, não falhei uma eleição. Seja legislativa, municipal, europeia, referendos, seja o que for, eu vou. Deixei uma amiga a parir sozinha na Alfredo da Costa para poder ir votar no referendo da regionalização (ainda regressei a tempo de ver nascer a criança, que na altura eu votava no Liceu Camões). A minha avó queria votar e não podia, porque era mulher, a minha mãe, podendo votar, o seu voto não aquecia nem arrefecia, que antigamente era assim. Não andaram elas a fazer pela (minha) vida para eu agora desbaratar as conquistas pelas quais elas deram (em alguns casos literalmente) o corpo ao manifesto.

Vou a todas, mas cada vez menos convicta. Coitadinha, ainda me lembro do orgulho, da primeira vez que votei. E os meus colegas sem perceberem o entusiasmo, e a nega da ida à praia porque "tenho de ir votar". Perdi essas eleições, belo augúrio.

Não querendo entrar em detalhes sobre orientações políticas, já votei muita coisa, e nunca votei em algumas. Também já votei em branco.

De cada vez que voto faço-o com menos convicção.

Acho mais determinante e participativo ter um blog, do que votar. Pelo menos sinto-me mais bem representada.

Permitir que se comece a votar aos 16 anos é apenas fazer com que as pessoas cheguem mais novas ao meu estado de desalento. Pode ser que seja bom para o negócio dos Blogs, mas não será bom para o negócio da Democracia.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    camaradita 04.04.2008

    Gostei de ler o Post da Jonasnuts.
    A questão de votar ou não votar, trouxe-me à memória uma coisa gira (como vão depreender já estou carregadinho de anos ).

    Então foi assim:

    Julgo foi em 1969, houve eleições, aquelas eleições... e participei nas propagandas e agitações da oposição.

    Em dois dias à noite aparelharam-me com outro para ir distribuir Boletins de voto às pessoas nas localidades para irem votar. Quem era o tipo? Um jovem e recente administrador da empresa onde eu trabalhava. Estão a imaginar a estranheza da situação.

    No dia das eleições estive na rua principal da cidade, à distância mínima das câmaras de voto a distribuir boletins de voto.

    Enfim.. por volta das 19 horas (fecho das urnas), dirigi-me para a sede local da oposição.

    Pergunta-me um: "Já votas te?
    Respondi: ""Não"!
    "Não votas-te?!
    "Eh pá, não. Como é que era?

    E agora que estou a falar nisto não consigo lembrar-me bem as voltas que era preciso dar para ir votar.
    Um Abraço.
  • Comentar:

    Mais

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.