Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]









Related Posts Plugin for Blogs

Se me saísse o Euromilhões.....

por jonasnuts, em 22.11.13

 

Largava tudo e transformava-me numa activista dos direitos civis a tempo inteiro.

 

Mesmo.

 

 

O cartoon é do Kudelka.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Há formas e formas de fazer chegar a mesma mensagem a um target. A identificação da forma como se deve fazer chegar a mensagem a um determinado target é uma das partes do planeamento estratégico duma campanha de comunicação e marketing. As escolhas podem ser muitas. Há sempre umas melhores que outras.

 

Fica aqui um exemplo de duas formas distintas de transmitir a mesma mensagem ao mesmo target. Adivinhem lá qual é aquela de que o target mais gostou? (ou, não tendo gostado, a mensagem que o enganou melhor :)

 

Se isto fosse um blog americano, eu agora dizia que os vídeos contêm cenas que podem chocar os mais sensíveis, e que contêm imagens de partes pudendas. Mas como não é um blog americano, não digo :)


LFTC Testicle Check from Maverick TV on Vimeo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caro João Galamba

por jonasnuts, em 21.11.13

Isto é inadmissível.

 

 

Não pelos motivos apresentados pelos produtores de vídeo (o que é que lhes garante que tu não estavas a pedir um link para a transmissão online legal da coisa?), mas porque, desportivamente, as escolhas são deploráveis.

 

Ainda se fosse um Benfica -Qualquer coisa, ou um Qualquer coisa - Benfica, compreendia. Mas lagartos e andrades?

 

Deplorável.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cara Fnac

por jonasnuts, em 19.11.13

Se por acaso alguém vos comprar um iPhone, e, passados uns tempos o puser aí a reparar, não contactem com a cliente a pedir o username e a password do Apple ID.

 

Sabem..... pedir usernames e passwords do Apple ID (ou de qualquer outro serviço) vai contra o bom senso, contra as mais básicas normas de segurança e, mais importante, contra os termos de utilização do serviço.

 

E insistirem com uma pessoa para que dê o username e a password, para que vocês possam transmitir a terceiros, também não é boa ideia.

 

E serem mal educados, alegando que a pessoa "não está a facilitar", também não ajuda. Não é por mim que falo, eu sou, para vocês, um caso perdido e não voltarei a ser vossa cliente (ver aqui porquê - auto-link).

 

Quando a cliente se oferece para se deslocar às vossas instalações, para ser a própria a inserir username e password para desactivar a app que está, dizem vocês, a impedir a intervenção, aceitem, e não digam que é impossível.

 

Por acaso deram com uma cliente muitíssimo bem informada (e sensível) acerca das questões relacionadas com a segurança dos dados, mas suponho que seja o pão nosso de cada dia, fazerem este tipo de pedido aos clientes.

A Apple vai gostar de saber.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Insultos desconcertantes

por jonasnuts, em 06.11.13

Ando a trabalhar num conceito que me parece vencedor. O insulto inusitado, desconcertante, e que deixa o destinatário dividido. Acho o máximo. São sobretudo eficazes com pessoas muito burras, ou muito arrogantes (os dois conceitos andam normalmente juntos, mas não é obrigatório).

 

Dou assim início às hostilidades com um desses insultos, que ainda não usei, mas que é uma questão de tempo.

 

"Olha lá, os teus pais são primos?"

Autoria e outros dados (tags, etc)

10 anos

por jonasnuts, em 04.11.13

 

Há 10 anos e qualquer coisa, num corredor do SAPO, o Dr. Baldino (sem link porque ele não gosta) disse-me assim: Óh Maria João (das poucas pessoas que não me trata por Jonas), Ó Maria João..... isto dos Blogs é um fenómeno muito interessante, e nós devíamos ter uma plataforma de Blogs. Trate lá disso.

 

Esta foi a especificação inicial. 

 

Eu argumentei. Ó Dr. Baldino, isso dos Blogs é uma treta, isso não são mais do que homepages, com uns perlimpimpins (não estava desprovida de razão, tecnicamente falando). 

 

Bottom line, manda quem pode, obedece quem deve. E eu obedeci.

 

Por motivos que agora não interessam para nada (mas que eu não esqueço), optámos por uma plataforma tecnológica tenebrosa, o Movable Type (na altura também não havia muito mais escolha), e, faz hoje dez anos, lançávamos os Blogs do SAPO.

 

São, no SAPO, um dos meus projectos de vida profissional.

 

Dei muito aos Blogs, e os Blogs deram-me muito a mim (quer pessoal quer profissionalmente).

 

Hoje, noutro projecto, tento desligar-me, cortar o cordão umbilical, sei que estão bem entregues, os Blogs do SAPO. Mas é difícil.

 

Não é todos os dias que um filho faz 10 anos.

 

Parabéns, Blogs do SAPO :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Stop watching us

por jonasnuts, em 26.10.13

 

Eles falam apenas dos cidadãos americanos. Eu alargo um bocadinho espectro. 

Stop watching ALL of us.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Atestar na BP (ou não).

por jonasnuts, em 22.10.13

 

O meu carro é pequenino. O depósito do meu carro, é proporcional. 32 ou 33 litros. Para não andar sempre a encher o depósito e sempre que posso (que não é sempre), atesto.

 

Este deve ser o comportamento da maioria das pessoas. Presumo. Não sei.

 

O que sei é que a grande maioria das bombas de gasolina usa agora o fantástico sistema do "pré-pagamento", seja lá qual for a hora. Quando se atesta o depósito, pré-pagar é difícil, porque não se sabe exactamente quanto é que se vai gastar.

 

Normalmente, dou-me ao trabalho de sair do carro, ir às caixas, dizer que quero atestar, voltar ao carro, atestar, voltar às caixas, pagar.

 

Há, no entanto, algumas excepções, a BP do viaduto Duarte Pacheco passou hoje a ser uma dessas excepções.

 

Eram 8h15 da manhã. Não havia mais ninguém na bomba. Nem mais um carro. A loja estava vazia à excepção da senhora da caixa.

Faço o costume, entro na loja, cumprimento, e digo que quero atestar. E a senhor pergunta-me se tenho cartão acp ou "não me lembro do outro cartão que me perguntou se eu tinha", e eu respondo que não, e a senhora diz que nesse caso não dá, que tenho de pré-pagar. Partilho com ela a minha dificuldade em pré-pagar um valor que desconheço. Pois.... encolhe ombros..... mas só se tiver os cartões.

 

Portanto, a malta vai toda fugir, a não ser que tenha os cartões A ou B. Porque quem não é sócio do ACP ou da outra entidade de cujo nome não me lembro, é ladrão. A diferença que faz, um bocadinho de plástico.

 

A partir duma determinada hora..... eu percebo. Em bombas onde há muita movimentação.... eu percebo. Numa bomba pequena, vazia, e por não ter um pedaço de plástico da cor que eles acham que é a certa....... não percebo.

 

Estive vai não vai para lhe mostrar o meu cartão de sócia do Glorioso, mas depois achei que seriam pérolas a porcos (sem desprimor da senhora, que, coitada, está só a cumprir ordens).

 

Tinha 1,5 litros no depósito. Há uma escolha a fazer Maria João. Tu precisas mesmo de gasolina, porque depois vais para o meio da cidade, e depois não consegues encontrar um bomba, e depois ficas apeada, faz lá como eles querem e pronto, não se pensa mais nisso.

Isto eram os meus 9% a falar com os restantes 91%.

Números são números, nada a fazer.

 

Agradeci e vim-me embora, sem abastecer.

 

Se mais logo virem um smart parado no túnel das amoreiras, já sabem. Fui eu que fiquei sem gasolina.

 

Quanto à BP do viaduto Duarte Pacheco, pois que perdeu uma cliente. Desnecessariamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caras editoras portuguesas,

por jonasnuts, em 21.10.13

Assim, não há quem vos safe. Uma pessoa tenta ser vossa cliente. Mas vocês são sistematicamente mais caros, mais demorados, menos diversificados na oferta. Assim, não se safam. Eu bem tento....

 

Por via do workshop de bordados, fui à procura de um livro. Dicionário de Pontos, da Lucinda Ganderton. Por causa das minhas experiências de aprendizagem do tricot em inglês, vejo-me aflita, para ler instruções em português, e ainda não consigo perceber qual é a liga, qual é a meia. Mas sei distinguir o knit do purl. Enfim, não queria cometer o mesmo erro com os bordados, e se já proliferam nomes em português (muitos nomes diferentes para o mesmo ponto, dependendo da região), metendo o inglês ao barulho, seria meio caminho andado para eu ficar ainda mais baralhada.

 

Nem me passa pela cabeça visitar livrarias não virtuais...... a atenção que dedicam a esta temática é tanta, que normalmente não têm mais do que meia dúzia de livros vagamente relacionados e estão paredes meias com uma profusão de reikis e velas oníricas, e massagens cerebrais pelos capilares, tudo coisas que eu respeito muito, mas que não, obrigada.

 

Wook. Ora bem.... sim senhor, há o livro em português. Mas está esgotado. E é caro para caraças. Não tem data prevista de reposição de stock.

 

 

 

Deixa lá ver noutro sítio.

 

 

Portanto..... têm em stock, a edição mais recente e custa menos de metade? Ora aqui está uma bela oportunidade para aprender os nomes dos pontos, também em inglês.

 

Eu estaria disposta a pagar um pouco mais, pela versão portuguesa, porque, afinal de contas, é preciso pagar o trabalho de adaptação e tradução. Mas mais do dobro? No fucking way (isto sou eu já a treinar o inglês para os bordados).

 

Depois venham cá queixar-se, editoras, da lei da cópia privada, e o raio que os parta. Façam o vosso trabalho, em vez de esperarem que sejam os outros negócios a pagar pelo trabalho que vocês não fazem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bordadeira

por jonasnuts, em 21.10.13

 

Pois que me meti num workshop para aprender a bordar. Nada que eu não te pudesse ensinar, disse logo a minha mãe, provavelmente com razão.

 

Mas no Sábado de manhã, eu diria mesmo, de madrugada, lá estávamos nós na Retrosaria. Foi a primeira vez que fui a um workshop sem saber absolutamente nada. O ponto cruz não é para aqui chamado, porque do que percebi, é um parente pobre do bordado. A bem dizer, o ponto cruz faz-se com uma agulha que não pica, e esta, dos bordados a sério pica que se farta. E não, não uso dedal (nem o dedal evita as picadelas, seus ingnorantes, o dedal serve para empurrar o cu da agulha).

 

Claro que a esta hora já tenho imensos planos para fazer isto, e aquilo e aqueloutro, e no Natal é tudo despachado a bordados e já tenho o linho, e as linhas, e o papel químico, e o papel vegetal, e os lápis e a régua e o raio que o parta e a caixinha para meter isto tudo. Nada de expectativas. Se for como o tricot e como o crochet, Natal, sim, mas no mínimo de 2015.

 

Quem quiser experimentar, a professora foi a Joana Caetano, e o workshop foi no sítio do costume.

 

Espero que os próximos não fiquem tão tortos :)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)